Brasil tem atos para marcar o 1º de Maio, Dia do Trabalho

Cidades brasileiras tiveram atos pelo 1º de Maio nesta quarta-feira, Dia do Trabalho. Milhares foram às ruas para protestar ou para acompanhar as comemorações com programação de shows.

As manifestações seguiam pacíficas até por volta de 18 horas. Em alguns dos atos, os organizadores fizeram críticas à proposta do governo de reforma da Previdência, em discussão na Câmara.

Também houve atos de trabalhadores em várias partes do mundo. Em cidades como Paris, na França, e Turim, na Itália, houve confronto entre manifestantes e policiais.

São Paulo

Em São Paulo, pela primeira vez a Central Única dos Trabalhadores (CUT) e a Força Sindical se uniram em uma única comemoração. A festa começou às 10h no Vale do Anhangabaú, Centro da capital, e seguiu até a noite. Segundo as centrais sindicais, 200 mil pessoas foram ao evento. A PM não divulgou estimativa.

A justificativa das entidades organizadoras para fazer um único ato é o “momento do Brasil e as dificuldade das centrais sindicais”, conforme relatou Paulinho da Força, da Força Sindical.

Em São Carlos, cerca de 200 pessoas se reuniram nesta quarta-feira (1º ), feriado do Dia do Trabalhador, em um ato contra a Reforma da Previdência. Os manifestantes se concentraram na Praça do Mercado Municipal e, por volta de 10h, percorreram a Avenida São Carlos até a Praça dos Pombos. Durante o trajeto, a faixa de ônibus continuou liberada e o trânsito não foi afetado.

Pernambuco

Em Pernambuco, representantes de sete centrais sindicais, de partidos políticos e trabalhadores de diversos setores se reuniram na área central do Recife nesta manhã para protestar contra a reforma da Previdência. Nem PM nem organizadores divulgaram estimativa de público.

Alagoas

Em Alagoas, trabalhadores e integrantes de movimentos sociais e sindicais saíram em caminhada pela orla de Maceió durante a manhã. Os manifestantes carregavam cartazes com críticas ao desemprego no país. Segundo os organizadores, 5 mil pessoas foram ao ato. A PM não divulgou estimativa.

Amapá

O Dia do Trabalho foi marcado por protesto contra a reforma da previdência. O ato reuniu um grupo de cerca de 200 pessoas, segundo a organização, na Praça da Bandeira, localizada no Centro de Macapá. Entre os manifestantes, professores, servidores públicos e integrantes de movimento sindicais.

A manifestação teve início às 16h e tem previsão de encerrar às 20h. Nesse período, aconteceram apresentações musicais, declamação de poesias, discursos dos líderes dos movimentos sindicais e distribuição de panfletos. O ato faz parte do movimento nacional que acontece em diversas cidades do país, em prol do direitos trabalhistas.

Amazonas

O Dia do Trabalho foi comemorado com protesto da CUT e de outras centrais sindicais contra a reforma da Previdência. Houve uma caminhada pelas ruas do centro de Manaus. Segundo a organização, mil pessoas participaram do protesto. A PM informou 400 pessoas.

Ceará

Integrantes de centrais sindicais e movimentos sociais se reuniram nesta quarta-feira (1º), em um ato na rodovia BR-230, no município de Várzea Alegre, na Região do Cariri do Ceará.

Segundo a Polícia Rodoviária Federal do Ceará (PRF-CE), o ato começou por volta das 7h20 e o trecho do Km-83 ficou bloqueado, o que gerou congestionamento de veículos. Cerca de 150 pessoas participaram do ato. O grupo exibiu faixas e cartazes em alusão ao Dia do Trabalhador. Pneus também foram queimados na via.

No município de Crato, centenas de pessoas saíram em caminhada às 4h30 da manhã e fizeram um percurso de 10 quilômetros pelas ruas da cidade.

Já em Fortaleza, integrantes de movimentos sociais e das centrais sindicais se reuniram na tarde para participar da caminhada “Marcha dos Trabalhadores”, na Avenida Beira-Mar. A mobilização que marca o Dia do Trabalho tem entre as principais pautas a defesa da política de reajustes do salário mínimo, a luta por emprego e o protesto contra a Reforma da Previdência. Cerca de 20 mil pessoas participaram, segundo a organização. A PM não divulgou estimativa.

Minas Gerais

Na tradicional missa do Dia do Trabalhador realizada em Contagem, na Grande BH, representantes do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) lembraram as vítimas do rompimento da barragem da Vale em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

O Dia do Trabalhador é para lembrar que os trabalhadores estão morrendo com a lógica da privatização que como a Vale cometeu esse crime levando lucro acima da vida. Então hoje é um dia de protesto, de luta, de solidariedade entre os trabalhadores”, disse o membro do MAB, Jocely Andreoli.

Paraná

Em Cascavel, no norte do Paraná, a festa do trabalhador foi comemorada com 17 toneladas de carne num evento que é considerado o maior churrasco do Brasil. A expectativa é de que 20 mil pessoas vão à comemoração.

Ao todo, serão assados durante seis horas, no fogo de chão, mais de 500 costelões. Mais de mil voluntários participam da organização do evento, que é tradição na cidade há 24 anos.

Em Arapongas, houve um protesto em uma praça de pedágio.

Piauí

Centrais sindicais, grupos estudantis e representantes dos principais sindicatos de trabalhadores do estado do Piauí fizeram protesto na Praça da Integração, no bairro Parque Piauí, Zona Sul de Teresina, neste Dia do Trabalhador (1º).

Na manifestação, o grupo seguiu pelas ruas do entorno da praça, com um carro de som, chamando a atenção da população. As ruas ficaram interditadas por alguns minutos durante o percurso, que aconteceu entre 9h e 10h. O protesto encerrou ao meio-dia.

Rio Grande do Norte

Sindicatos e representantes de várias classes de trabalhadores do Rio Grande do Norte se reuniram na Praça das Flores, no bairro Petrópolis, na Zona Leste da cidade, de onde partiu em caminhada até a Praia do Meio. A concentração começou às 8h, mas os manifestantes só saíram da praça por volta das 10h. Alexandre Guedes, diretor da Central Sindical e Popular Conlutas, disse que cerca de 1.500 pessoas devem participar do manifesto. A Polícia Militar não estimou o número de presentes.

Rio Grande do Sul

Um grupo de manifestantes se reúne na tarde desta quarta-feira (1) na Orla do Guaíba, no Centro de Porto Alegre, em um protesto relativo ao Dia do Trabalho. Os organizadores estimaram em 5 mil pessoas o público presente; a Brigada Militar fala em 2 mil.

O ato teve início por volta das 14h, na Rótula das Cuias, entre as avenidas Edvaldo Pereira Paiva e Augusto de Carvalho. Pouco depois das 15h, teve início uma caminhada até a sede da Câmara dos Vereadores, na Avenida Loureiro da Silva.

Sergipe

Centrais sindicais, movimentos sociais e grupos estudantis realizaram uma manifestação nesta quarta-feira (1º). O protesto teve início às 8h30 na Praça da Juventude, no Conjunto Augusto Franco, na Zona Sul de Aracaju (SE) e seguiu até a Orla de Atalaia onde foi finalizado às 13h30.

Segundo a organização, o ato reuniu 10 mil pessoas e é uma preparação para a greve geral, que acontecerá no dia 14 de junho em todo o país.

Fonte: G1

 

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.