Caos na saúde do DF acirra os ânimos e vigilantes pagam o preço

Infelizmente nos deparamos com mais uma cena, desta vez ocorrida no HRT – Hospital Regional de Taguatinga, quando vigilantes e pacientes chegaram às vias de fato com agressões físicas e verbais.

O Sindicato dos Vigilantes do DF tem alertado a categoria para que mantenha a calma e caso o paciente, frustrado por falta de atendimento, parta para a agressão, o profissional deve chamar a polícia imediatamente e não revidar.

Entendemos o quanto é difícil não responder às agressões, mas devemos considerar a situação dos pacientes do DF, muitos desesperados para ter o seu problema de saúde resolvido e faltam médicos, materiais, leitos e demais profissionais que possam fazer o atendimento e amenizar a sua dor ou de seu familiar.

Ressaltamos que o vigilante não tem a menor responsabilidade pelo caos da saúde e em que pese o desvio de função a que são submetidos nesses hospitais, distribuindo fichas, carregando maca, entre outros, exercem exemplarmente a profissão e alguns casos isolados, como o ocorrido no HRT, não refletem o cotidiano desses profissionais.

Lamentamos, mais uma vez, as agressões ocorridas de ambas as partes e realizaremos campanhas de esclarecimento e alerta para que tais fatos não mais ocorram dentro das unidades de saúde.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.