Os elos de corrente na licitação do BRB

by SINDESV-DF SINDESV-DF | 17/07/2019 13:44

O governador de Brasília, Ibaneis Rocha (MDB-DF), ainda está preso à corrente. Os elos não são desfeitos. Exemplo, a família piauiense do ex-deputado distrital Cristiano Araújo (PSD-DF). A licitação milionária para atender a empresa da família de Cristiano Araújo no Banco Regional de Brasília (BRB) burla os tramites legais. Apesar da derrota do ex-distrital nas eleições para CLDF, o governador o recompensou pelo apoio que o fez sentar na cadeira de governador e lhe nomeou na Diretoria de Administração da Companhia do Metropolitano do Distrito Federal (Metrô). Sem sucesso! Cristiano foi bombardeado pelo Ministério Público (MPDFT), tendo que abrir mão de comandar o metrô.

Contudo, Ibaneis tenta emplacar a empresa Soberana Segurança e Vigilância Ltda que tem de fato no comando, Luiz Vicente Araújo Júnior, irmão de Cristiano. A licitação de R$ 33 milhões se deu no dia 27 de maio de 2019 tendo a Soberana classificada em 1º lugar, mesmo sem apresentar os requisitos exigidos no edital. Pelo menos quatro empresas recorreram à justiça alegando que a Soberana está impedida, por não possuir certidões negativas. Documentos básicos para comprovar capacitação técnica e por isso questionada judicialmente. Segundo dirigentes das empresas que recorreram à justiça, os tramites foram claramente dirigidos para que a Soberana fosse a vencedora. Inclusive praticando ‘DUMPING’ com o preço incompatível para prestação do serviço, muito abaixo do valor do mercado. A intenção da Soberana será de imediato impetrar aditivos para chegar ao “valor combinado”.

Os dirigentes alegam ainda que o trâmite para esse tipo de licitação em geral dura de 10 a 15 dias, porém, a Soberana ganhou muito mais tempo para retificar as planilhas e se adequar a licitação. Mesmo assim, as planilhas não fecham. Entretanto, o BRB habilitou e homologou a licitação para a Soberana. Com isso, o sindicato ameaça comunicar a justiça trabalhista para que sejam descontadas todas as pendências nas faturas a serem pagas pelo BRB para a empresa.

 

No Congresso Nacional, a Soberana enfrenta dificuldades por não saldar compromissos firmados em contrato. O deputado federal, Emerson Miguel Petriv (PROS-PR), conhecido popularmente como ‘Boca Aberta’, foi à tribuna e denunciou a Soberana que foi contratada pela Câmara Federal em 01 de fevereiro de 2017 e teve que encerrar suas atividades em 30 de abril de 2019, por não pagar os salários dos vigilantes. “A empresa Soberana deu um calote nos vigilantes e não quer pagar. Estão vindo buscar a certidão negativa nessa casa e não vão receber” esbravejou o deputado.

Na Junta Comercial, a empresa Soberana está registrada em nome de Irenaldo Pereira Lima (o Índio). Mas, de fato a empresa é comandada por Luiz Vicente Araújo Júnior, irmão do ex-deputado Cristiano Araújo, que sob as bênçãos de Ibaneis Rocha vão abocanhar milhões de reais nos próximos 5 anos.

Fonte: QuidNovi
Por: Mino Pedrosa

Source URL: https://sindesvdf.com.br/news/?p=12965