Reajuste do Plano de Saúde dos Vigilantes foi para garantir continuidade do benefício

Desde o mês de março que a administradora IBBCA do Plano de Saúde dos Vigilantes (Unimed Manaus) vinha tentando reajustar o benefício e a direção do Sindicato resistindo e dizendo não, dentro do entendimento que a crise que o País atravessa, nos coloca em situação crítica e usamos todos esses argumentos junto à referida operadora.

No entanto, depois de meses adiando as negociações, chegamos a um impasse, pois a administradora afirmou que, se não houvesse o reajuste, iria rescindir o contrato com o Sindicato dos Vigilantes, como já ocorreu em inúmeras outras ocasiões, como todos podem se lembrar. E mais, está cada vez mais difícil encontrar um bom plano de saúde aos preços praticados ao nosso benefício.

Parar o tratamento de centenas de vigilantes e dependentes não seria opção viável
Diante disso, e pensando nas centenas de vigilantes e dependentes que estão em tratamento de câncer e outras doenças, dos pacientes que recebem atendimento em casa, através do home care, pois não podem se locomover, entre outros casos de tratamento contínuo, a direção do Sindicato aceitou o reajuste de R$ 50,00 reais para que o benefício não fosse rescindido.
Ainda assim, com o reajuste, é um bom plano de saúde a preço popular se comparar com a grande maioria dos planos de saúde colocados em prática atualmente.

Agência Nacional de Saúde embasa a negociação
Como o nosso Plano de Saúde é coletivo e foi contratado pelo Sindicato, a Agência Nacional de Saúde apenas acompanha e solicita que o reajuste seja comunicado. No nosso caso, o reajuste está previsto para o mês de março, e o Sindicato ainda conseguiu segurar por três meses sem reajustar.

A Agência Nacional de Saúde (ANS), fixou em até 13,55% o índice de reajuste a ser aplicado aos planos de saúde individuais/familiares no período compreendido entre maio de 2017 e abril de 2018. Como já dissemos, o nosso plano de saúde é coletivo e não se aplicam esses reajustes. Lembrando ainda que o preço cobrado nos planos de saúde individuais/familiares é muito superior ao nosso. Primeiro porque é por faixa etária e conforme o beneficiário envelhece e mais precisa do plano, mais caro ele fica.

Lembrando que alguns desses planos sofrem até dois reajustes anuais, ou seja, caso o beneficiário mude de faixa etária, sofrerá reajuste e ainda o reajuste anual.

Pensando, principalmente, naqueles companheiros e companheiras que necessitam do benefício e não podem interromper o tratamento, o Sindicato negociou o reajuste, esperando contar com a compreensão de todos e todas, sem se deixar levar por pessoas que atacam o benefício, pois estão em uma situação cômoda e sem qualquer compromisso com as reais necessidades dos trabalhadores.

Preparar para impressão